sexta-feira, 13 de maio de 2016

1 ano e 11 meses ou 23 meses de Gustavo

Boa noite meninas e meninos,

E hoje meu pequeno completa 1 ano e 11 meses ou 23 meses, está chegando o #gúfaz2!

Então o post é como de costume sobre o desenvolvimento do Gu, fui pesquisar sobre a nova fase que vamos entrar e já estamos passando, tem muita informação legal, e meus comentários estarão de vermelho.


Como seu filho está crescendo

Prestes a completar 2 anos, seu filho provavelmente canta partes de músicas e já pode falar frases com até três palavras. Algumas crianças com alma de artista conseguem copiar algo como círculos e traçar desenhos com linhas, mas não se preocupe se tudo parecer somente um grande rabisco para você. O importante é estimular a coordenação motora, tendo à disposição bastante papel e giz de cera (melhor do que lápis ou canetas nesta fase). 

Aproveite para brincar com objetos de tamanhos diferentes agora que ele começa a entender o conceito de opostos, como alto e baixo e pequeno e grande. 

Converse o mais que puder em casa, porque assim será mais fácil identificar algum déficit de fala ou audição. Na dúvida, mencione para o pediatra na próxima consulta, já que sessões de fonoaudiologia podem ser bem eficazes para corrigir problemas em crianças pequenas. 

O Gu é bem preguiçoso pra falar, na verdade ele fala muito mais enroladinho ainda, isso é uma coisa que quero falar com o pediatra na próxima consulta! Mais ele solta palavras certinhas, pede o que quer, imita, então acredito que ele está no tempo dele!!!
Converso com ele o dia todo o máximo possível, ensino novas coisas, temos brincado muito com coisas que estimulem a coordenação motora dele. E muitos desenhos com giz de cera estão rolando aqui, nós amamos!!! 






Sua vida: paciência na hora do sono

A esta altura, muitos pais decidem transferir os filhos do berço para uma cama maior, temendo que eles possam pular sozinhos para fora. 

Arme-se de paciência e tenha em mente que essa transição pode ser difícil por um tempinho. A liberdade de sair da cama por conta própria leva a muitas idas e vindas atrás dos pais e, com frequência, a visitas noturnas à cama deles. Isso passa, mas vale a pena tentar estabelecer uma rotina e bons hábitos de dormir para esta nova fase. 

Gu dorme na caminha dele desde 1 ano, e sim temos visitas quase todas as noites ahah



Mas que vermelho é esse na pele?

Quanto mais estiver perto de outras crianças e brincar, maior as chances de o seu filho aparecer com alguma erupção na pele. 

Algumas delas, como no caso da roséola, vêm acompanhadas de febre alta, enquanto outras, como quando se trata de catapora, podem deixar as crianças mais inapetentes e molinhas. Fique atenta aos sintomas e certifique-se de saber quais são os sinais de uma doença mais séria, como a meningite, por exemplo. 

Não tenha vergonha de ligar para o pediatra a qualquer hora do dia ou da noite para pedir orientação se estiver preocupada ou, se preferir, procure direto um pronto-socorro. 

Não passamos por nada disso por enquanto graças a Deus!

Desenvolvimento físico: brincando de se vestir

À medida que se aproxima dos 2 anos, seu filho começa a demonstrar interesse em pôr e tirar as próprias roupas. Camisetas folgadas, casacos, jaquetas e pijamas de zíper são os itens mais fáceis para praticar. Muitas crianças gostam de brincar com as roupas também, então facilite a sua vida e já separe peças como chapéus ou lenços velhos para deixar à disposição. 

Outra novidade é que agora ele já consegue abaixar para pegar alguma coisa sem ter que agachar. Ele vai tentar ficar de pé na ponta dos pés e pular tirando os dois pés do chão. Prepare também o coração para as inúmeras subidas e descidas de escadas sem que seu filho queira ajuda nenhuma (mais uma maneira de provar o gostinho da independência). 

Pronto isso tudo define o Gu nesse momento... ele ama tentar tirar e colocar as próprias roupas, e eu sempre estimulo a isso! 
Pular tirando os dois pés do chão virou a nova sensação de brincar, ele repete inúmeras vezes e ri em todas, eu babo.
Subir e querer descer a escada sem ajuda é normal há um mês mais ou menos, e tem nos tirado o sono, porque agora ele descobriu como abre o portão da escada!




Cérebro afiado

Com 1 ano e 11 meses, muitas crianças têm maturidade cerebral e coordenação motora para montar um quebra-cabeça de três a seis pecinhas (daqueles bem básicos de madeira para encaixar animais ou formas, por exemplo). Algumas já esboçam desenhos de círculos (sem muita definição da forma, claro) e linhas verticais e horizontais. 

Incentive o desenvolvimento dessas habilidades tendo à mão giz de cera e tinta (use sempre materiais apropriados para crianças e com selo de qualidade do Inmetro) para fazer arte. Participe das brincadeiras escrevendo e desenhando também, assim seu filho assistirá e terá vontade de copiá-la. 

Outras atividades que exercitam a comunicação do cérebro com as mãos incluem encher e esvaziar vasilhas de água, medir e colocar a comida do cachorrinho no prato dele ou amassar massinha (vale também massa de pão de verdade) para fazer bolas ou minhocas. É bem provável que a criança se molhe ou se suje, mas os ganhos compensam. 

Não tenho muito com que me preocupar nesse sentido, temos feitos muitas atividades para estimular a coordenação!
Ele já monta um quebra-cabeças de 4 pecas e encaixa as peças em cima dele com facilidade, adora desenhar e ainda mais de estou desenhando junto!
Gostei da ideia da massinha, vou tentar já!!!





Desenvolvimento emotivo e social: imitando crianças maiores

A partir de agora, seu filho demonstrará mais interesse em brincar com outras crianças e imitá-las. Se tiver irmãos mais velhos, não se surpreenda de vê-lo seguindo o irmão ou irmã o dia inteiro. Ele vai tentar fazer a cesta no basquete ou ninar a boneca do mesmo jeito, e poderá tentar conquistar o amor do irmão oferecendo sua própria bolacha ou algum outro "bem" de grande valor. 

Caso esteja grávida de novo, os especialistas recomendam contar à criança sobre o bebê com, no máximo, três ou quatro meses de antecedência. Nessa altura, sua barriga já terá crescido e o nascimento não estará tão longe assim para uma criança que ainda não entende direito o conceito de futuro. 

Percebo que quando tem crianças mais velhas o Gu imita mesmo elas, até no que não achamos que deva imitar, por exemplo uma arte, uma briga... quando isso acontece chamamos ele e dizemos que aquilo não é certo e não pode ser feito. Quando ele imita alguém que não seja algo "ruim" deixamos, afinal é uma forma dele se socializar com outras crianças.
Ele sempre oferece o que está comento as outras crianças desde pequeno, acho lindo isso!

Elogio na medida certa

Ele já começou a se referir a si próprio pelo nome ou pelo pronome "eu"? Essa é uma indicação importante de que seu filho passou a entender que é uma pessoa diferente e separada de você. 

Aproveite todas as oportunidades para elogiar algo que ele tenha feito sozinho, o que só vai incentivar a autoconfiança. 

Tente evitar comentários genéricos do tipo "Que menino sabido!" e fale especificamente sobre o feito do momento: "Adorei o jeito que você empilhou os bloquinhos para fazer essa torre tão grande". 

O Gu se refere a ele mesmo como Neném do pai e da mãe, ou simplesmente de Gu. Sempre elogio ele nas coisas certas que faz, e percebo que ele se enche de orgulho. Gostei da dica de como elogiar.




Comportamento: apego e medos

Se aquela criança destemida e independente de repente não quer largar de você nem por um minuto, não se preocupe. Nesta idade, esse tipo de comportamento pode simplesmente indicar uma imaginação fértil. Às vezes é o aspirador que vira um engolidor de crianças ou é o monstro que se esconde debaixo da cama (especialmente depois da transição do conforto e segurança do berço para uma caminha maior). 

Esses medos podem parecer irracionais para você, mas, para uma criança que está começando a notar o mundo, são extremamente reais. Procure não menosprezar os temores do seu filho (faça, por exemplo, uma busca pelo tal do monstro embaixo da cama) e sempre converse sobre o que o aborrece tanto. 

Lembre-se ainda de que a imaginação pode ser grande, mas o vocabulário de uma criança ainda não é, então às vezes caberá a você decifrar a fonte do medo. 

Não esqueça também aquela velha lição seguida com bebês menores: quando for sair, diga aonde vai, explique quem cuidará dele e dê um tchau rápido, sem estender e fazer drama. Se possível, antes de sair, envolva-o em uma atividade com a pessoa que ficará cuidando dele. 

Não tive problemas de medo com o Gu ainda, ou não percebemos ainda! Mais tenho certeza que se aparecer vamos em busca do que está causando o medo e mostrar que não tem nada que temer.
Sobre ficar com outras pessoas, quando são os avós o Gu nem olha pra me dar tchau, e fora eles ele nunca ficou com mais ninguém. (sou uma mãe meio doida nesse ponto)


Desenvolvimento da linguagem: montando frases

Crianças de quase 2 anos costumam obedecer ordens simples como "Venha aqui para eu botar o seu tênis" ou "Pega o copinho para a mamãe". Elas falam cerca de duas dúzias de palavras de forma mais clara e muitas outras ainda não tão fáceis de entender -- e por isso nem soam como palavras de verdade. Mas logo logo o vocabulário vai crescer tanto que você nem vai mais conseguir lembrar de todas as gracinhas que ele diz. 

Seu filho pode dizer frases curtas como "Cabô mamá" ou "Qué papá" e responder a perguntas como "Qual é o seu nome?" e "Como é que o cachorrinho faz?". Você já não terá mais que adivinhar tanto o motivo dos choros, porque ele aprendeu a utilizar as palavras (mesmo as que inventou ou "adaptou") para expressar sentimentos e sensações. 

Outro conceito que começa a ser entendido é o de opostos, como pequeno e grande ou pouco e muito. Aproveite para mostrar figuras e ilustrações em livros, porque a leitura é uma das melhores formas de aprimorar a linguagem. Procure histórias em que haja vários objetos, tanto familiares como outros mais novos. Ao ler, faça uma pausa de vez em quando e pergunte algumas coisas sobre o livro ("O que o gatinho está fazendo? "Cadê o menino?")

Lendo esse trecho percebo que a linguagem do Gu está bem normal, ele já monta essas pequenas frases, e entende muito bem as nossas.
Vou começar a trabalhar mais os opostos a partir de agora, ele já sabe o quente e frio, mais ainda não fala certinho o "frio".






Fonte: Aqui



E é isso, o desenvolvimento por aqui está assim, ao meu ver tudo correndo bem!

E por ai como estão as crianças?

Grande beijo e até já =*